Planejar o Ano Novo

Lívia Cerezoli (em 5/01/2006 - Gazeta Mercantil)

Coisas boas e vida nova. É isso que todos desejam para o ano novo. O ano de 2006 começou a engatinhar agora, mas com certeza já é adulto o bastante se pensarmos na lista de planos de cada um. Emagrecer, conseguir um bom emprego, ver o filho passar no vestibular. Na sua agenda nova já existe um espaço reservado para as metas a serem alcançadas? E você sabe como estabelecer essas metas?

Para Alberto Matias, professor de finanças da Faculdade de Economia e Administração da USP de Ribeirão Preto e diretor-presidente do Inepad - Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração, definir metas é planejar. E o primeiro passo é fazer um diagnóstico do último ano. "Precisamos levantar os pontos fortes e fracos dos acontecimentos de 2005, as ameaças e as oportunidades para este próximo ano que começa. Depois disso é identificar e enumerar o que você espera para 2006", explica ele.

Os planos são muito pessoais, é claro, mas mesmo assim alguns desejos são comuns e segundo Matias, uma das principais metas que devem ser traçadas e trabalhadas são as formas para manter em alta os pontos identificados como fortes no último ano. "O que foi bom, queremos que permaneça ou então melhore ainda mais. Definir metas é fazer o futuro acontecer. Quem planeja percebe as oportunidades", afirma.

De acordo com o professor, não existe uma regra para gerenciar a vida de cada um, mas podemos pensar em uma grande empresa com seus determinados setores. Assim teremos: orçamento (receitas e despesas), saúde, formação educacional (dos filhos), entretenimento, família e atuação profissional. "Além disso, ainda podemos pensar nos relacionamentos financeiros com o setor público, na hora das compras e ainda profissionalmente".

Se por um lado, administrar como uma empresa pode parecer fácil, estabelecer metas é algo íntimo. O publicitário José Breda Ferreira afirma que ser perseverante talvez seja o primeiro passo. "Eu não faço lista daquilo que quero para o próximo ano. De certa forma, faço os meus planos seguindo aquilo que fiz no ano passado", diz ele.

Trabalhar o lado espiritual também pode ser uma forma de crescimento e uma meta para algumas pessoas em 2006. Segundo o pároco da Catedral Metropolitana de Ribeirão, Francisco Jaber Zanardo Moussa, é preciso pisar em chão firme sem perder a esperança. "Não adianta nos preocuparmos buscando coisas passageiras, respostas imediatas aos acontecimentos. Nenhum ser humano é capaz de determinar o futuro de uma outra pessoa", afirma.

Para ele, traçar metas é importante para direcionar a vida. Além disso, é preciso lutar pelos objetivos para conquistar a realização pessoal ou profissional. "O mundo nos oferece dificuldades e desafios, mas não podemos deixar que ele nos vença".